Após jacaré matar cachorro, Prefeitura de Cuiabá diz que aumentará sinalização no local

Após o jacaré matar o cachorro no lago do Parque das Águas no sábado (13.07) conforme divulgado com exclusividade pelo VG Noticias, o secretário de Serviços Públicos de Cuiabá, José Roberto Stopa, disse ao VG Noticias , nesta segunda (15.07) que aumentará a sinalização no local.

Stopa disse que além da sinalização, haverá um aumento de monitores educadores ambientais, principalmente na área que concentra maior número de jacarés, no Parque das Águas. Ele disse ainda, que a Prefeitura estuda colocar proteção de tela guarda rei.

“Embora não sei se resolveria muito esta tela, porque se a pessoa quiser pode passar por baixo ou por cima da proteção. O jacaré não ataca, mas se a pessoa jogar coisas na água muitas vezes, que foi o caso desta pessoa, o jacaré entende que é comida e por isso ele ataca. O jacaré está em seu habitat, quando ele está nas margens pegando sol e ouve ruído de pessoas, ele entra na água”, disse Stopa.

Ele citou um caso que ocorreu no Parque Barigui, em Curitiba, em 2007, onde o jacaré comeu um cachorro.

Surpresa: De acordo com duas moradoras de Várzea Grande que caminhavam no local no momento do acidente, o dono do cachorro ficou surpreso ao saber que havia jacaré no lago.

Ao verem o cachorro entrando no lago em busca do graveto pela segunda vez, uma delas gritou e avisou que era perigoso, pela presença de jacaré. O dono chamou o cachorro, contudo, não houve tempo, o animal foi comido.

Perigo: Famílias com crianças e cachorros frequentam o Parque das Águas todos os dias, e é maior nos finais de semana.

A Prefeitura de Cuiabá emitiu nota sobre o ocorrido. Confira abaixo a íntegra da nota.

A respeito da segurança no Parque das Águas a Prefeitura de Cuiabá informa que:

– O incidente no qual um cachorro foi atacado por um jacaré é pontual, uma vez que nenhuma situação semelhante foi registrada desde a inauguração do Parque, em 2016.

– O jacaré estava em seu habitat natural, dentro do lago, quando o cachorro entrou na água para buscar um graveto, arremessado por seu dono.

– Parte do espaço conta com uma cerca que separa o Parque da nascente do lago, que fica em uma região de mata fechada. Isso impede que outros animais silvestres invadam a área pública.

– Mesmo que a cerca fosse instalada ao redor de todo o lago, a medida não evitaria esta ocorrência, uma vez que o cão foi incentivado a entrar na água e sua movimentação na superfície motivou o ataque.

– O Parque das Águas conta com monitores e guardas. A orientação repassada aos profissionais é para que não permitam que os frequentadores subam na cascata ou entrem no lago.

– É importante destacar que o lago existe para contemplação, não para banho ou prática de esportes.

– Por toda a área, há placas que informam sobre a proibição de entrada na água. A sinalização, contudo, será reforçada, assim como o número de educadores ambientais no local.

– Essas medidas visam à conscientização dos frequentadores e evitarão que outros incidentes do tipo aconteçam.

– Há que se reforçar ainda que os jacarés e capivaras estão em seu habitat natural e que o espaço deve ser respeitado pelos seres humanos que aproveitam da beleza da região para práticas esportivas e de lazer.

VG Noticias

Add Comentários