Bodas de brilhante paroquial

“Dada a relevância do assunto estamos publicando neste espaço o Artigo intitulado BODAS DE BRILHANTE PAROQUIAL de autoria de ÉDIO BOSCO BOTELHO, Leigo Salesiano da Paróquia N. S. da Guia-VG”   

A Paróquia Nossa Senhora da Guia de Várzea Grande neste ano de 2020 comemora suas Bodas de Brilhantes, 75 anos de muita história bonita e que, concomitantemente, o Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora da Salette celebra seus 10 anos desde a ereção episcopal aos 19 de setembro de 2010 por Dom Milton Antônio dos Santos sdb. A Arquidiocese de Cuiabá celebra seus 110 anos de criação contados a partir de 05 de abril de 1910. Também aos 09 e 10 de janeiro de 2020 celebrando 83 anos da Inauguração da primeira Igreja de Nossa Senhora do Carmo. Desde a inauguração da pequena Igreja de Nossa Senhora do Carmo aos 09 e 10 –sábado e domingo- de janeiro de 1937 com a realização de 20 batizados e Missa Inaugural celebrada pelo Pe. João Augusto Hadzinshi sdb da Paróquia São Gonçalo a quem éramos designados apenas como “Capella de Várzea Grande”. São bênçãos dos céus celebrar 75 anos neste 24 de maio de 2020, Festa de Nossa Senhora Auxiliadora, padroeira dos Salesianos, a Sociedade de Dom Bosco (sdb) e devoção dos Arcebispos de Cuiabá.

Podemos crer firmemente que o então Arcebispo de Cuiabá, Dom Francisco de Aquino Correa sdb, quando assina o Decreto de 24 de Maio de 1945, que fixa a nova divisão da Arquidiocese de Cuiabá em 11 Paróquias, dentre elas a “Capella de Várzea Grande”, tinha em mente o evangelho de Mateus 4,12-23, em especial os versos 15-17: “Terra de Zebulon, terra de Neftali, caminho do mar, região do outro lado do rio Jordão, Galiléia dos pagãos! O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz, e para os que viviam na região escura da morte brilhou uma luz”.

– Quero uma nova luz para as terras do outro lado do rio Cuiabá! Nova luz para as Capellas de Várzea Grande: Guia e Carmo, Passagem do Conceição, Capella do Piçarrão e Bonsucesso!

E assim se fez com a necessidade e pressa de então!

Nosso primeiro Pároco, o salesiano Padre João Humberto Panarotto, dada a insuficiência de clero, tomou posse somente em 06/04/1953. Fica em Várzea Grande até 1967, quando assume a Paróquia o Padre Luiz Maria Ghisoni que, no ano de 1983 passa a igreja aos cuidados do último salesiano, Padre Sebastião Paniago Vilela que entrega a Paróquia aos 14/02/1988 ao sacerdote Missionário Saletino Padre Aldacir José Carniel. Este faz reformas fundamentais à igreja construída pelo Pe. Luiz, hoje referência em Várzea Grande. Padre Carniel fica na Paróquia até 25/02/1992 dando posse ao Padre Virginio João Dall’Agnoll que permanece pároco até 23/02/1999. Nesta data retorna à Paróquia Pe. Aldacir Carniel, ficando em sua última gestão até 13/02/2007, quando dá posse como Pároco ao seu Vigário José Ladimir Balbinotti que permanece até 27/02/2009. Quem o substitui é o Padre saletino Marco Antônio Dias de Almeida que fica como Pároco até fevereiro de 2016, quando toma posse o atual Pároco, Padre Marcos Reis dos Santos. Somam-se a estes Párocos outros 10 Vigários que muito contribuíram para que a Paróquia tornasse a referência que é e mãe de outras seis Paróquias dela desmembradas. Não podemos deixar de dar grande valor à contribuição de número incontável de fiéis Leigos e Leigas que, voluntariamente, dedicam seu tempo da condução de 23 Comunidades e 22 Pastorais e Movimentos. São mais de 1.500 homens, mulheres e jovens espalhados por todo o território paroquial. Podemos afirmar sem erro que, não se pode contar a história de Várzea Grande sem que se faça grande inserção das Paróquias aqui fixadas, em especial a de Nossa Senhora da Guia, Mãe e Padroeira do Município. Como em muitos outros municípios brasileiros, Várzea Grande também cresceu e desenvolveu em torno de uma Igreja Católica fazendo a evangelização do seu povo em observância a Mestre Jesus: “Idem e façam discípulos meus todos os povos.” Parabéns Paróquia de Nossa Senhora da Guia!

Édio Bosco Botelho

É Leigo Saletino, MESC, Bel em Direito, autor de À Sombra do Manto, Reflexões à Ladainha de N. S. da Salette e Nós, Os Vicentinos

 

Fonte: reportermt.com.br

Add Comentários