“Essa linha de defesa de hackers não vai resistir muito tempo”, diz Kennedy Alencar sobre Moro

 

O jornalista de O Globo, Ricardo Noblat, também criticou a reação de Moro no Twitter. “As conversas reveladas falam por si”, escreveu

Jornal GGN – O jornalista Kennedy Alencar divulgou mensagem em sua conta pessoal no Twitter, na noite de sexta (14), avaliando que “essa linha de defesa de hackers possivelmente inventando conversas não vai resistir por muito tempo.”

A manifestação ocorreu após o Intercept Brasil vazar novas conversas entre Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato, mostrando que o ex-juiz participou ativamente da estratégia de comunicação dos acusadores de Lula.

Em nota, Carlos Fernando dos Santos Lima, ex-procurador atingido pela nova rodada da chamada Vaza Jato, afirmou que as mensagens de Telegram divulgadas pelo Intercept são produto de crime de hacking e que não iria comentar o mérito dos diálogos porque, possivelmente, eles forma adulterados. O discurso é o mesmo de Moro.

Para Alencar, essa desculpa não cola. “Ao mostrar trocas de mensagens detalhadas, inclusive com horários e participação de assessores, reportagens do The Intercept Brasil deixam claro que conversas são verdadeiras.”

Ainda na visão do jornalista, os procuradores da Lava Jato não têm moral para contestar vazamento de material sigiloso à imprensa.

 “Exposição do modus operandi dos principais atores da Lava Jato tem interesse público. Se houve hackers ou não, é algo a apurar, mas secundário. Sobre vazamento, Lava Jato não tem autoridade para dar lições. E o Intercept não deu detalhes da fonte, um direito constitucional.”

O jornalista de O Globo, Ricardo Noblat, também criticou a reação de Moro no Twitter. “As conversas reveladas falam por si”, escreveu Noblat, ao compartilhar o anúncio de que Moro não quer mais se manifestar sobre o dossiê Intercept.

  “Quem está falando que foi hacker tem que investigar e provar”, diz editor do Intercept

Em outro tweet, Noblat acrescentou: “À medida que vão sendo reveladas as conversas de Moro com procuradores da República no Caso Lula, o que cada um de nós deveria se perguntar seria o seguinte: eu gostaria de ser julgado por um juiz como Moro?”

Fonte:  jornalGGN

Add Comentários