Fábio Garcia é reeleito presidente do DEM e se esquiva de disputar Prefeitura de Cuiabá

Mantido na presidência do Democratas, função que na avaliação de correligionários tem desempenhado brilhantemente, o ex-deputado federal Fábio Garcia praticamente descartou participar da disputa pela Prefeitura de Cuiabá em 2020. Atual suplente do senador Jayme Campos, Garcia conversou com a reportagem do Olhar Direto nesta quinta-feira (25) e afirmou que apesar das especulações o partido tem se concentrado em atrair novas lideranças e, conforme já se cogitava, só deverá anunciar candidaturas no prazo limite das convenções.

“É muito improvável [disputar eleição]. Eu estarei como presidente do partido acompanhando obviamente o processo eleitoral que haverá. Mas hoje eu to 100% concentrado na administração das empresas, em cuidar da minha família e também nesse processo de renovação partidária”, asseverou.

No último ano, Garcia anunciou que iria se distanciar da vida pública para dedicar-se às empresas de sua família. No entanto, suscitou comentários sobre uma possível candidatura à Prefeitura de Cuiabá desde que passou a adotar um tom mais critico à atual gestão, de Emanuel Pinheiro (MDB). Outro fato que deixou seu nome em evidencia foram as declarações de Jayme e do governador Mauro Mendes (DEM), que defenderam seu nome ao Alencastro.

Embora a maioria dos políticos declare ser cedo para discutir as eleições de 2020, o assunto tem movimentado bastante as rodas de conversa. Ao menos seis pessoas já demonstraram disposição em pleitear o cargo, entre elas Eduardo Botelho, que está no DEM e disse que iria refletir sobre seu futuro nos próximos 120 dias, enquanto cumpre licença da Assembleia Legislativa.

O DEM, que realiza eleição na tarde desta quinta-feira para reeleger seu atual Diretório, deve adotar a mesma estratégia do ano passado, nas eleições que elegeram Mauro Mendes governador, quando deixou o anúncio dos candidatos pelo partido no tempo limite da convenção.

“Não tem articulação nenhuma, nem para a Prefeitura de Cuiabá nem para a de Várzea Grande. A gente ta, na verdade, nesse momento concentrado na reestruturação do partido, a gente quer fazer um movimento forte de renovação partidária, trazer novas lideranças para o Democratas no Estado inteiro. Hoje o foco do Democrata, na verdade são dois: o movimento de renovação do partido e, segundo, cumprir nosso principal desafio, nossa principal missão que é ajudar o governador Mauro Mendes fazer um bom governo pelo Estado de Mato Grosso”, defendeu.

“Entre uma eleição e outra a gente precisa pensar que tem que ter um tempo para trabalhar. Nós estamos no tempo do trabalho. Vamos deixar a eleição de 2020 para 2020. A gente tem que acabar com essa cultura, com essa história de que a gente sai de uma eleição e entra em outra”, acrescentou.

Olhar Direto

Add Comentários