Inquérito da PM contra Ledur aponta indícios de crime militar

Em 2016 ela foi acusada de torturar e matar o aluno Rodrigo Claro, de 21 anos. Agora o caso é referente à denúncia de ex-aluno do 15º Curso de Formação do Corpo de Bombeiros.

As investigações da Corregedoria do Corpo de Bombeiros apontaram indícios de crime militar no segundo caso envolvendo tortura por parte da tenente BM Izadora Ledur. Em 2016, ela foi acusada de torturar e matar o aluno Rodrigo Claro, de 21 anos.

A Corregedoria encaminhou indiciamento da tenente Izadora Ledur ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT), para apuração da “transgressões disciplinares” cometidas nesse caso.

O inquérito militar é referente à denúncia do operador de pedágio Maurício Júnior dos Santos, ex-aluno do 15º Curso de Formação do Corpo de Bombeiros. Ele relatou os abusos cometidos por Ledur cerca de um ano após a morte de Rodrigo.

Ao depor à 11ª Vara Criminal Militar, Maurício revelou que teve o sonho de ser bombeiro militar “destruído” pela tenente, a “um mês da formatura”, por causa do tipo de treinamento de salvamento aquático aplicado pela bombeira.

Segundo ele, só não morreu porque a tenente não o torturou durante a travessia da lagoa como fez com Rodrigo e sim parado. “Eu gritei: Pelo amor de Deus, você vai me matar. E ela respondeu: Você está louco aluno? Você não pode encostar em um oficial”.

O Inquérito Policial Militar foi homologado, porém ainda não foi publicado. A militar foi indiciada pelo crime de maus tratos.

 

Fonte: www.reportermt.com.br

Add Comentários