“Lançado” a prefeito por Jayme, secretário de Mendes está de malas prontas para o DEM

Da Redação – Érika Oliveira

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo (PSB), disse que a tendência é, quando aberta a janela partidária em março de 2020, filiar-se ao Democratas, partido de seu atual chefe, o governador Mauro Mendes (DEM). Nesta semana, durante evento em Várzea Grande, Figueiredo foi lembrado pelo senador Jayme Campos (DEM) como possível representante do partido na disputa pela Prefeitura de Cuiabá.

“Não sei o que vai acontecer, estou em um partido hoje em que muito provavelmente terei que trocar, mas não existe janela partidária nesse momento, só no ano que vem. Eu recebi convite do PDT, do DEM, mas essa decisão só vou tomar no ano que vem. Existe, logicamente uma tendência [de ir para o DEM], já existe um convite feito, mas ainda tem muito tempo para tomar essa decisão”, afirmou o secretário.

Figueiredo, que foi eleito o 5° vereador mais votado em Cuiabá em 2016, é de extrema confiança de Mauro Mendes e já trabalhou como secretário de Educação em sua gestão à frente Prefeitura da Capital. Atualmente, responde pela Secretaria de Saúde do Estado e foi primordial na definição da requisição administrativa da Santa Casa de Cuiabá.

Questionado sobre sua disponibilidade para disputar a Prefeitura, Figueiredo considerou que até mesmo em caso de resposta positiva, é preciso realizar um trabalho de excelência à frente da Secretaria de Saúde, caso queira viabilizar uma vitória na eleição. Neste sentido, afirmou que estará 100% focado em seu trabalho no Governo do Estado e uma eventual candidatura só será discutida em 2020.

“No meu radar está aquilo que Deus prepara para a minha vida. Eu sonhei ser secretário de Saúde, assim como imaginei um dia ser vereador, então eu faço aquilo que Deus prevê. Eu acho cedo para fazer qualquer comentário, estou muito focado e dedicado em mostrar resultados na Saúde e qualquer pretensão futura minha está muito ligada a fazer entregas à população. Eu acho que desviar do foco nesse momento para falar de uma eleição que ainda tem um ano e meio para acontecer, é muito prematuro”, pontuou.

Olhar Direto

Add Comentários