Mauro afirma que ter feito algo errado não faz com que Baiano Filho seja “leproso”

O candidato a governador Mauro Mendes (DEM) e seu vice Otaviano Pivetta (PDT), da coligação “Pra Mudar Mato Grosso”, não têm nenhum constrangimento em receber o apoio do deputado estadual Baiano Filho, acusado de receber propina na  Gestão Silval Barbosa (sem partido). O ainda tucano desistiu da reeleição, rompeu com o governador Pedro Taques (PSDB), se prepara para deixar o PSDB e aderiu ao projeto político do democrata.

Segundo Mauro, Baiano terá a oportunidade de se defender perante a Justiça. Além disso, afirma que não fará julgamentos sobre o novo aliado e que a condução do processo judicial é de responsabilidade dos magistrados.

“Ele é uma liderança e vai responder pelo que fez e pelo que não fez. Agora, ter cometido ou não alguma coisa errada, isso não torna essa pessoa um leproso. Ele é um líder  e precisamos da ajuda das pessoas que querem nos ajudar nesse processo. O apoio dele é muito importante para mim”, declarou Mauro, durante o anúncio do apoio do parlamentar, em coletiva de imprensa, na manhã desta quarta (22).

Já Pivetta afirmou desconhecer as denúncias contra Baiano Filho. No entanto, afirmou que o apoio do deputado é bem-vindo para ajudar a viabilizar um governo comprometido com os interesses da população.

“Participei de todas as negociações com os partidos políticos e todas foram republicanas. Os apoios que recebemos é de pessoas que  acreditam que Mauro Mendes seja a melhor solução para Mato Grosso neste momento. Não há problema nenhum em receber apoio”, completou.

O vídeo

Em julho, Baiano Filho e três ex-secretários de Silval tiveram bens bloqueados no valor de R$ 1,2 milhão por decisão do juiz  juiz Luís Aparecido Bertolussi Júnior, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular. O pedido do Ministério Público Estadual (MPE) para afastá-lo do cargo foi indeferido.

O MPE acusa Baiano Filho  de fazer parte de uma “comissão” junto a Silval  para receber R$ 600 mil, valor desviado de recursos do Programa MT Integrado, relativo a incentivos fiscais e das obras da Copa do Mundo de 2014. De acordo com a denúncia, o  montante seria uma espécie de “mensalinho” pago a deputados estaduais que teriam aceitado participar de um acordo firmado com Silval para manter sua governabilidade.

Baiano Filho e outros parlamentares chegaram a ser filmados recebendo o dinheiro da suposta propina. A gravação está anexada à delação premiada de Silval e do seu ex-chefe de Gabinete Silvio Corrêa.

Mauro, que tenta se eleger governador pela 2ª vez, garante que fato de Baiano ter sido delatado por Silval Barbosa não o desmerece politicamente

Add Comentários