Milho cai em Chicago nesta quarta-feira devolvendo ganhos

A quarta-feira (19) chegou ao final com baixas para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram perdas entre 2,00 e 2,50 pontos ao longo do dia.

O vencimento março/20 foi cotado à US$ 3,80 com desvalorização de 2,50 pontos, o maio/20 valeu US$ 3,85 com queda de 2,25 pontos, o julho/20 foi negociado por US$ 3,88 com baixa de 2,25 pontos e o setembro/20 teve valor de US$ 3,86 com perda de 2,00 pontos.

Esses índices representaram quedas, com relação ao fechamento da última sexta-feira, de 0,78% para o março/20, de 0,52% para o maio/20 e de 0,51% para o julho/20 e de 0,52% para o setembro/20.

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros de trigo e milho nos Estados Unidos caíram nesta quarta-feira com os lucros obtidos com o forte comício da sessão anterior.

As perspectivas para a China aumentar as compras agrícolas foram obscurecidas pela epidemia de coronavírus que matou cerca de 2.000 pessoas e interrompeu as atividades de viagens e negócios. As necessidades de importação chinesas de grãos também foram afetadas por uma crise de suínos que reduziu a demanda por alimentos.

“Ninguém quer ficar muito pessimista com a China baixando todas essas tarifas se preparando para comprar, mas eles querem ver algumas vendas antes que os touros assumam o controle”, disse Gerlach, da A / C Trading.

A publicação ainda destaca que, os mercados de grãos também estão aguardando as previsões de safras previstas em uma conferência de 20 a 21 de fevereiro, organizada pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que pode dar pistas sobre as tendências de plantio nos EUA e as expectativas de demanda de exportação.

Mercado Interno

No mercado físico brasileiro, a quarta-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, foram registradas desvalorizações apenas em São Gabriel do Oeste/MS (2,33% e preço de R$ 42,00).

Já as valorizações foram percebidas nas praças de Pato Branco/PR (2,43% e preço de R$ 42,20), Londrina/PR (2,50% e preço de R$ 41,00) e Ubiratã/PR (2,50% e preço de R$ 41,00).

Em seu reporte diário, a Radar Investimentos publicou que, aos poucos, os vendedores tem ofertado mais volumes no mercado físico. “Os negócios estão fluindo relativamente mais em relação ao mesmo período da semana anterior”.

Fonte: Notícias Agrícolas

Add Comentários