Milho se movimenta pouco no mercado físico nesta sexta-feira com mercado cauteloso

Chicago fecha a semana estável

A sexta-feira (22) chega ao final com poucas movimentações para os preços do milho no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram percebidas valorizações em nenhuma praça.

Já as desvalorizações apareceram em Luís Eduardo Magalhães/BA (1,32% e preço de R$ 37,50), Rio Verde/GO (1,35% e preço de R$ 36,50), Castro/PR (2,13% e preço de R$ 46,00) e Sorriso/MT (4,48% e preço de R$ 32,00).

De acordo com o reporte diário da Radar Investimentos, os participantes do mercado estão cautelosos. “São dois fundamentos que impõe este sentimento, a redução dos alojamentos dos granjeiros, seja de suínos ou de aves e também a possível redução de produtividade em função do clima”.

B3

Já a bolsa brasileira registrava movimentações positivas para os preços futuros do milho nesta sexta-feira (22). Os principais contratos flutuavam entre 0,31% e 1,01% por volta das 16h42 (horário de Brasília).

O vencimento julho/20 era cotado à R$ 46,85 com alta de 0,84%, o setembro/20 valia por R$ 45,10 com valorização de 1,01%, o novembro/20 era negociado por R$ 47,85 com elevação de 0,31% e o janeiro/21 tinha valor de R$ 49,04 com ganho de 0,70%.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, mesmo com o dólar recuando mais de 2% ontem, as negociações no mercado spot são poucas e acontecem para preenchimento de necessidades que vão da “mão para a boca”. Com isso, na B3 a volatilidade perdura.

Mercado Externo

Para a Bolsa de Chicago (CBOT) a sexta-feira (22) foi de estabilidade para os preços internacionais do milho futuro.  As principais cotações registraram movimentações entre 0,25 pontos negativos e 0,25 pontos positivos ao final do dia.

O vencimento julho/20 foi cotado à US$ 3,18 com valorização de 0,25 pontos, o setembro/20 valeu US$ 3,22 com queda de 0,25 pontos, o dezembro/20 foi negociado por US$ 3,32 com perda de 0,25 pontos e o março/21 teve valor de US$ 3,45 com baixa de 0,25 pontos.

Esses índices representaram altas, com relação ao fechamento da última quinta-feira, de 0,32% para o julho/20, além de desvalorizações 0,31% para o setembro/20 e de 0,30% para o dezembro/20, e estabilidade para o março/21.

Com relação ao fechamento da última sexta-feira (15), os futuros do milho acumularam perdas de 0,31% para o julho/20 e de 0,31% para o setembro/20, estabilidade para o dezembro/20 e ganhos de 0,29% para o março/21.

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros do milho tiveram movimentações levemente negativas com as expectativas de uma grande safra nos Estados Unidos, enquanto o progresso de plantio continua antecipando uma colheita maciça no outono. Além disso, os comerciantes buscavam se posicionaram antes do feriado do Memorial Day na próxima segunda-feira (25).

Notícias Agrícolas

Add Comentários