MT: Candidato Ao Senado: Taques diz que fim do foro privilegiado e reformas serão prioridades

Ex-governador promete que, se for eleito, vai votar pelo fim da reeleição dos chefes da Câmara e Senado

Taques diz que uma das suas bandeiras de campanha é a valorização do servidor público

O ex-senador e ex-governador Pedro Taques (Solidariedade) anunciou, por meio da assessoria de imprensa, que as reformas e o foro privilegiado serão suas prioridades, caso seja eleito senador, na eleição marcada para o dia 15 de novembro.

Taques lembrou que as reformas administrativa, tributária e política são os principais desafios a serem encarados no Senado, nos próximos meses.

Segundo ele, os temas são de relevância nacional, com impacto em Mato Grosso, e estão nas pautas de discussão do legislativo.

O primeiro é o projeto de reforma administrativa, que já foi enviado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao Congresso Nacional.

Ele lembrou que sua chapa conta com dois servidores nas suplências – o delegado Fausto (Cidadania) e a Dr. Elza Queiroz (SD), sugerindo seu posicionamento em favor dos servidores públicos e seus direitos.

“A porta de ouro de entrada no funcionalismo público é o concurso. Precisamos valorizar o servidor e inserir mecanismos que impeçam o bom desempenho do trabalho, e cobrar o cumprimento das leis – que já existem -, que combatem a ineficiência do servidor quando houver, e que resguarde as garantias da efetividade na carreira”, destacou.

Taques observou que outro ponto de destaque é a reforma tributária, apresentada pelo governo de forma fatiada. A primeira parte já está na Câmara dos Deputados, mas há outros textos sendo debatidos em paralelo no Congresso Nacional.

“Queremos uma reforma que seja justa para o estado. Mato Grosso ajuda muito na balança comercial brasileira e precisa ser compensado por isso. Também precisamos debater a tributação sobre a renda e não o consumo, ou seja, quem tem mais deve pagar uma tributação maior. O atual modelo beneficia os mais ricos, em detrimento dos mais pobres, isso não é justo”, afirmou.

O pré-candidato destacou que Mato Grosso é um estado com muitos bilionários e eles se beneficiam com o modelo vigente.

“Nesta semana, a imprensa publicou que o Brasil atingiu 238 bilionários em 2020. A fortuna deles é maior que o PIB da China em um ano, enquanto só em Mato Grosso temos 1 milhão de pessoas vivendo na pobreza, o que no levou a criar o Pró-família. Daí eu questiono: esse modelo tributário é justo? A Constituição Federal de 89 avançou na garantia de inúmeros direitos sociais e retrocedeu em matéria de tributação. Precisamos equacionar isso sem criar novos impostos. Temos que olhar para esse problema”, observou.

Taques destacou ainda que é o único candidato que pode olhar a fundo para a questão. “Sou o único o com isenção para defender os interesses de todos mato-grossenses e não apenas de meia dúzia de bilionários que aqui vivem!”, assinalou.

REFORMA POLÍTICA  – Pedro Taques defendeu que é preciso fazer uma reforma política no Brasil.

Aformou que necessário a promoção da igualdade; o fortalecimento da federalismo valorizando mais os estados e municípios.

Além disso, ele disse que quer debater o sistema de Governo, no qual as funções de chefe de Estado e de Governo se confundem, segundo o pré-candidato.

“Temos que debater o fim da reeleição, o voto distrital misto, recall de mandato, que é a cassação do mandato pelo eleitorado, e sou a favor do fim foro privilegiado. Quem não deve, não teme. Ninguém está acima da lei!”, afirmou.

REELEIÇÃO – O candidato afirmou que, se eleito, votará contra a possibilidade de reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado.

Nos últimos meses, o assunto passou a ser debatido no meio político de Brasília.

Fonte:    diariodecuiaba.com

Add Comentários