MT: DEM e PSDB negociam aliança por Prefeitura e Senado

Democratas podem apoiar o tucano Nilson Leitão na disputa pela vaga de Selma Arruda

Ao que tudo indica, o DEM e o PSDB poderão estar juntos nas eleiçõeso deste ano, tanto no que se refere à eleição suplementar para o Senadol, quanto  à sucessão na Prefeitura de Cuiabá.

As articulações para essa aliança começaram em torno da disputa pela vaga deixada pela ex-juíza Selma Arruda (Podemos) no Senado, cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no final do ano passado.

Ambos os partidos possuem nome para a disputa.

Trata-se do ex-governador Júlio Campos (DEM) e do ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB).

Inicialmente, a conversa seria para que o tucano abrisse mão de sua candidatura para apoiar o cacique democrata, integrando a chapa como primeiro suplente.

A sugestão, contudo, não agradou ao ninho tucano. Diante disso, já estaria definido que Júlio irá recuar da candidatura a senador e apoiar Leitão.

Com isso, o democrata seria acomodado na primeira suplência, e o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM) seria o coordenador-geral de campanha.

As agremiações aguardam apenas o retorno do governador Mauro Mendes (DEM), que está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratar de uma pneumonia.

“Após várias reuniões, decidimos que nosso candidato será o ex-deputado Nilson Leitão. Ele terá o nosso apoio, deJúlio Campos e do deputado Dilmar Dal’Bosco. E ainda pode ter o apoio do deputado Eduardo Botelho, caso Otaviano Pivetta não seja candidato”, disse o senador Jayme Campos (DEM).

Vale ressaltar que tanto o DEM quanto o PSDB chegaram a registrar chapa para a disputa suplementar, que, inicialmente, ocorreria em abril deste ano.

O pleito foi adiado em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e será realizado em 15 de novembro, com as eleições municipais.

O DEM havia registrado Júlio Campos como candidato, Dilmar como 1º suplente e Zé Márcio Guedes (PL) como 2º suplente.

Já Leitão foi registrado tendo como primeiro suplente Júlio César, de Barra do Garças, e o empresário Vander Masson como 2º suplente.

O DEM abriria mão da disputa ao Senado para obter o apoio do PSDB na disputa majoritária na Capital.

A intenção do PSDB, até então, era apoiar a reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) ou, até mesmo, lançar candidatura própria.

Para tanto, a legenda analisava três nomes: os empresários Dorileo Leal e Carlos Nigro e o ex-vereador Paulo Borges.

Já o DEM, inimigo de primeira hora do atual chefe do Executivo Municipal, pretende lançar candidato na Capital para tirar Pinheiro do Poder.

Entre os nomes que estão cotados, há o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, o ex-deputado federal Fabio Garcia, presidente regional da legenda.

Fonte:  diariodecuiaba.com

Add Comentários