MT: Fraude Em Licitação: MP denuncia ex-prefeito e pede bloqueio de R$ 7,5 milhões

Segundo as investigações, as empresas envolvidas no certame têm como sócio familiares e pessoas com vínculo empregatício

O Ministério Público de Mato Grosso, por meio da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Tangará da Serra, entrou com uma Ação Civil Pública contra o ex-prefeito de Tangará da Serra (140 km de Cuiabá), Fábio Martins Junqueira (MDB). Na ação, também são denunciadas outras sete pessoas por suposta fraude em uma licitação.

A licitação foi realizada  para contratar empresa especializada para prestação de serviços continuados de limpeza, conservação e higienização nas dependências dos prédios públicos utilizados pelo município. O MP também pede ressarcimento do erário em mais de R$ 7,5 milhões.

Para a promotora Fabiana da Costa Silva Vieira, as investigações comprovaram que “as empresas Global Service EIRELI-ME, Compacta Service EIRELI-ME, M.W.V Transportes e Construção Ltda, 2.M.M. Construtora e Transportes Ltda-ME, possuíam sócios em comum com vínculos empregatícios e familiares, as quais concorreram para se beneficiarem mutuamente no referido certame”.

Além disso, o Ministério Público também entendeu que houve má-fé, na qualidade de agentes públicos, nos atos praticados pelo ex-prefeito, do engenheiro Ronaldo Pereira Diniz Neto e pregoeira Tatiana Ávila Grigoletti. O MP também pede o bloqueio liminar de R$ 7,5 milhões de maneira solidária.

Também foram denunciados Itamar Martins Bonfim (ex-secretário de Saúde); a empresa Global Service, do empresário Denildo Ribeiro da Fonseca; Compacta Service, do empresário Gilmar Gonçalves da Silva; M.W.V. Transportes e Construção, que tem como sócio Valdeci Santos de Oliveira; Bom Sucesso Administradora de Serviços; a empresa Cruzeiro Engenharia e Construtora, além do Município de Tangará.

O MP também pede que as empresas sejam proibidas de fazer novas contratações com o município de Tangará da Serra, pois essas empresas “que há anos estão sendo vencedoras de certames licitatórios do Município de Tangará da Serra/MT de forma fraudulenta”.

Fonte:   reportermt.com

Add Comentários