MT: Preço da carne bovina deve demorar a cair no Estado

 

A analista de pecuária do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Marianne Tufani, avalia que o preço da carne bovina no Estado deve demorar a abaixar. Além do aumento da exportação para a China, o ciclo pecuário também é responsável pela redução do estoque de animais. Além disso, ela também afirma que o preço não diminuirá em decorrência das comemorações de final de ano.

A Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) já havia avaliado que o preço da carne para o consumidor mato-grossense deveria subir em decorrência da habilitação de mais plantas frigoríficas do Brasil para venda de carne para a China.

Segundo a Acrimat, é uma questão de aumento da demanda em relação à oferta disponível, mas que os preços poderiam se estabilizar futuramente, com o aumento da produção. No entanto, a analista de pecuária do Imea, Marianne Tufani, afirma que a perspectiva de aumento de estoque não é positiva.

“GERALMENTE COM O AUMENTO DA OFERTA O MERCADO ACABA SE EQUILIBRANDO, MAS ESTA REDUÇÃO DE ESTOQUE DE ANIMAIS JÁ ERA ESPERADA DE CERTA FORMA, PORQUE ESTAMOS VENDO QUE ESTÁ TENDO UMA INVERSÃO NO CICLO PECUÁRIO, QUE É UM MOVIMENTO COMUM QUE OCORRE AO LONGO DOS ANOS”, DISSE.

“OCORRE EM TORNO DE QUATRO OU DOIS ANOS, EM QUE HÁ UM AUMENTO DO ABATE DE FÊMEAS E CERCA DE DOIS ANOS DEPOIS OBSERVAMOS A REDUÇÃO DE ESTOQUE DE ANIMAIS, PORQUE ABATE MAIS MATRIZES E CONSEQUENTEMENTE REDUZ O MERCADO DE BOI GORDO. E ESTE ANO INCLUSIVE TEMOS VISTO BASTANTE NOVILHAS SENDO ABATIDAS, QUE PODERIAM SER FUTURAS MATRIZES, ENTÃO PARA O ANO QUE VEM E PARA O PRÓXIMO A PERSPECTIVA É QUE NÃO VENHA AUMENTAR TANTO A OFERTA DE ANIMAIS”, EXPLICOU.

A analista ainda afirma que, além do aumento da demanda externa, neste ano os preços não devem cair em decorrência das comemorações de Natal e ano novo, tanto para carne suína, mais utilizada tradicionalmente, como da bovina, que também acaba sendo bastante consumida.

 

“PELO MENOS ATÉ O FINAL DO ANO A GENTE NÃO ACREDITA QUE VAI TER ALGUMA RETRAÇÃO [NO PREÇO], MAS MUITO PAUTADA PELA DEMANDA EXTERNA, QUE ESTÁ BEM ALTA. A GENTE TEM ACOMPANHADO QUE ATÉ A QUARTA SEMANA TEM CAÍDO AS EXPORTAÇÕES, EU ACREDITO QUE SEJA MAIS PELA FALTA DE OFERTA DE ANIMAL DO QUE PELA PRÓPRIA DEMANDA, QUE ESTÁ AQUECIDA, MAS A GENTE TEM OUTRO FATOR QUE ACABA COLABORANDO TAMBÉM COM A SUSTENTAÇÃO DOS PREÇOS, QUE É O FINAL DO ANO”.

Tufani ainda afirmou que outros fatores podem acabar mudando o cenário, como o Governo tem estudado, mas que a perspectiva é que o preço se estabilize, ou aumente.

 

“PODE SER QUE HAJA UM EQUILÍBRIO DO MERCADO, A PRÓPRIA MINISTRA DISSE QUE PODE SER QUE IMPORTE ANIMAIS DE OUTROS LUGARES PARA EQUILIBRAR O MERCADO, MAS AINDA ASSIM JÁ ENTRAMOS EM UM OUTRO PATAMAR DE PREÇOS, ACREDITAMOS NESTA SUSTENTAÇÃO SE ESTE CENÁRIO PERMANECER. SE REALMENTE OS ESTOQUES DE ANIMAIS PERMANECEREM BAIXOS, DEVIDO AO CICLO PECUÁRIO E AUMENTO DAS EXPORTAÇÕES, PRINCIPALMENTE PARA A CHINA, ACREDITAMOS QUE AS COTAÇÕES TEM TENDÊNCIA A AUMENTAR, OU PELO MENOS MANTER NESTE PATAMAR”, DISSE.

Fonte:  cenariomt.com

Add Comentários