Operação fecha garimpos em terras indígenas em MT

 

Dois garimpos ilegais foram desativados durante a operação “Lavra Ilegal” nas terras indígenas (TIs) Sararé e Paukalirajausu, habitadas pelos Nambikwara, na fronteira oeste do Mato Grosso. A ação foi deflagrada pela Fundação Nacional do Índio (Funai), em parceria com o Ibama, Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Corpo de Bombeiros Militar (CBM) do Estado. As equipes desarticularam ainda áreas de extração ilegal de madeira.

Conforme informações da Funai, as equipes promoveram a ação durante três dias, com base nas informações provenientes da atuação constante da Coordenação Regional de Cuiabá e da Coordenação Técnica Local em Pontes e Lacerda e das fiscalizações na região, ocorridas durante o ano de 2018 e em fevereiro de 2019, com apoio das mesmas instituições parceiras.

Após denúncias e ações de inteligência e monitoramento que identificaram atividade garimpeira na região, a Funai solicitou cooperação imediata das instituições em prol do combate e repressão de ilícitos, durante a última semana de maio. “A cooperação e compartilhamento de informações entre os órgãos envolvidos oportunizaram o desenvolvimento de estratégias que foram decisivas para o sucesso da missão”, informou por meio da assessoria.

Nos dois pontos de garimpos ilegais desarticulados foram encontrados acampamentos com roupas, alimentos, agentes químicos, tipo mercúrio, para lavra ilegal, materiais e ferramentas diversos da atividade garimpeira. No total, uma máquina retroescavadeira, quatro motores e um motor gerador foram apreendidos e inutilizados juntamente aos acampamentos. “Os alimentos e utensílios domésticos foram destinados às comunidades indígenas Nambikwara”, frisou o órgão.

Também foram identificados e percorridos vários carreadores, ramais e trilhas ilegalmente abertas na mata a fim de facilitar a atividade ilegal de extração de madeira. Foram encontradas diversas espécies de árvores derrubadas, como garapeira, peroba rosa, cabreúva e mogno, e com serragem em forma de lascas e réguas, o que sugere a extração ilegal para fins de comercialização. Um caminhão com motossera, combustível e materiais diversos foi encontrado ainda com a chave na ignição, sugerindo que o indivíduo se evadiu ao encontrar as equipes. O veículo foi apreendido.

Para André Rodrigues, coordenador técnico local em Pontes e Lacerda, a missão mostrou-se eficiente por atingir todos os objetivos propostos. “Apesar de, nessa operação, não ter havido prisão de indivíduos atuantes nas atividades ilegais, a desarticulação de pontos focais de ilícitos aponta para maior presença do Estado na área, fazendo-se comprometido em proteger as comunidades e Terras Indígenas, por meio das instituições competentes para tal e as ações permanentes na região”, disse.

Fonte: DIÁRIO DE CUIABÁ

Add Comentários