Padre e jovens religiosos levam calote em viagem internacional

 

Durante 15 meses o padre Wender Souza dos Santos, responsável pela pastoral juvenil, na região oeste de Mato Grosso, e mais 22 jovens se programaram para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2019, que começa nesta terça-feira (22), no Panamá. Porém, foram vítimas de um calote avaliado em aproximadamente R$ 110 mil, valor do pacote de viagem que levaria o grupo para o encontro religioso na presença do papa Francisco.

Segundo o organizador da viagem, o contrato foi realizado com a agência Guri Tour Viagens, com sede em Goiânia (GO), que estava incluso passagens aéreas, 5 diárias de hospedagem e tranfer na cidade do México. Como responsável pela pastoral, ele ficou incumbido de acompanhar esses jovens durante a viagem. “Todos nos preparamos para este momento. Cada um fechou o contrato em média de 5 mil”, lembra o religioso.

No último dia 14 veio a notícia de que a empresa havia recebido um golpe. Conforme a proprietária da empresa, Débora Santos, ao tentar emitir os bilhetes não conseguiu falar com a responsável com quem fazia contato. Cada serviço era terceirizado com um fornecedor diferente. Assim que percebeu o golpe com as passagens, conseguiu cancelar o restante dos itens incluso no pacote. “O golpe foi de R$ 70 mil, contando apenas a parte aérea”, disse ao GD. .

Entre os 22 jovens estavam moradores de Sinop, Pedra Preta, Rondonópolis, Jaciara e Campo Verde. “O sentimento foi de tristeza e frustração, não só meu, mas de todos os jovens”, conta o padre. Para esclarecer a forma como se deu a organização da viagem, Wender gravou um vídeo explicando sobre o cancelamento da viagem.

“Contratamos uma agência para fazer isso e a empresa levou o golpe de uma pessoa que já teria dado o mesmo golpe em outras 3 agências. Houve insinuações de que eu era o culpado e isso não é verdade”, reforçou o padre.

Wender afirma que o caso está sendo acompanhado por um advogado junto a empresa Guri Tour Viagens. “Temos todos comprovantes de pagamento e contratos do pacote. Inclusive registrei um boletim de ocorrências que já está com o advogado”, afirmou.

A dona da agência de viagens também confirmou ter registrado a ocorrência do golpe e que está sendo tratado na Justiça. Além disso, Débora afirmou ter ligado pessoalmente para todos os jovens prejudicados para negociar o ressarcimento dos gastos que tiveram.

Fonte: GAZETA DIGITAL

Add Comentários