Prefeito e Barbudo criticam operação e dizem buscar Bolsonaro

PF deflagrou operação para desocupar garimpo ilegal; prefeito diz que garimpeiros ajudam cidade

O prefeito de Aripuanã, Jonas Rodrigues da Silva (PR), criticou, nesta terça-feira (08), a Operação Trype, da Polícia Federal, que visa cessar as atividades de um grande garimpo ilegal no Município.

Segundo ele, a ação da PF foi deflagrada em um momento que a cidade vivenciava um crescimento econômico, por conta da atividade.

“Estamos em Brasília extremamente preocupados com tudo o que está acontecendo em Aripuanã. Hoje, temos lá uma operação da Polícia Federal, juntamente com Ibama, Sema, Polícia Militar. E isso nos preocupa bastante, porque hoje a economia do Município estava muito grande com a mineração”, afirmou.

O gestor foi a Brasília pedir que a bancada federal o ajude a impedir o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de queimar o maquinário dos pequenos mineradores.

 

Amparados na legislação ambiental, os agentes podem queimar os aparelhos para que não retornem a usá-los.

Estamos em uma peleja para tentarmos deixar vocês tirarem os maquinários que foram presos para que não sejam queimados

“Desde ontem estamos em uma peleja para tentarmos deixar vocês tirarem os maquinários que foram presos para que não sejam queimados. Este é nosso apelo aqui em Brasília e estamos fazendo por tudo para ver se resolver a situação”, disse.

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) disse apoiar a retirada dos maquinários. Afirmou que buscará o ministro-chefe da Casa Civil Ônix Lorenzoni e, se preciso, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) para que a Polícia Federal atenda o apelo do prefeito.

Barbudo disse que os garimpeiros são “pessoas trabalhadoras”. Ele pediu que a questão seja resolvida sem conflito.

“A minha assessoria agora já está atrás do ministro-chefe da Casa Civil para que possamos protocolar um documento para que não sejam queimados os maquinários. Sabemos que os garimpeiros são pessoas trabalhadoras. Inclusive, tenho um projeto para profissionalizar a profissão do garimpeiro, que é um sonho de Jair Bolsonaro”, afirmou.

“Estaremos no dia de hoje correndo na Polícia Federal, Casa Civil, Secretaria de Governo, se preciso chegarei até Jair Bolsonaro, para que pacifiquemos a situação. Para que você possa resgatar o seu material sem prejuízo. Tenham um pouco de paciência, não vamos usar de violência. Tentaremos ajudar o máximo que pudermos”, completou.

A operação

A operação tem como objetivo inibir as atividades de garimpo ilegal na região.

Ainda conforme a PF, a ação do garimpo ilegal tem provocado grande impacto ambiental e social na cidade.

A PF afirmou que, após a instalação do garimpo, os índices de homicídios, tráfico de drogas, prostituição e outros crimes têm aumentado no Município.

Cerca de 160 policiais e servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Secretaria de Meio Ambiente (Sema)  atuam na área durante toda semana.

O nome da operação deriva da palavra grega “trypes”, que significa buracos. Trata-se de uma alusão à situação em que ficou a região após a ação dos garimpeiros ilegais.

Fonte:  MIDIANEWS

Add Comentários