Queimadas aumentam 115% em áreas de preservação de MT

 

Incêndios atingem áreas de preservação ambiental em Mato Grosso, como o Parque Estadual Serra de Ricardo Franco, Chapada dos Guimarães e cabeceiras do rio Cuiabá. Do início do período proibitivo, em 15 de julho, até ontem, foram registrados 2.862 focos de calor no Estado. Esse número indica um aumento de 115,6% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 1.327 focos.

Conforme os bombeiros, ontem começou um segundo incêndio na cabeceira do Rio Cuiabá, desta vez na região de Nobres (146 km a médio-norte da Capital) e na avaliação preliminar trata-se de uma ocorrência de grandes proporções. As ações, nesse momento, são voltadas ao combate às chamas.

Esse novo incêndio teve início menos de 24 horas depois que os bombeiros conseguiram extinguir as chamas na região de Rosário Oeste (128 km ao Norte). Nesse caso, o fogo teve início no sábado (3), foi controlado na terça-feira (6) e extinto na quarta-feira (7), segundo o tenente Lucas de Sousa Brito, comandante da companhia de prevenção e combate a incêndio florestal. Foram queimados mais de 3 mil hectares e necessário o uso da aeronave para o controle do fogo.

O comandante explica que foi feita uma perícia no local e a análise indicou que a causa do fogo foi acidental. De acordo com a análise, o rompimento de um fio de energia deu iniciou às chamas que acabaram se espalhando.

Os bombeiros trabalham ainda em outras duas ocorrências, disse o comandante do Batalhão de Emergências Ambientais, tenente coronel Dércio Santos da Silva. Na terça-feira, na Serra de Ricardo Franco, na região de Vila Bela da Santíssima Trindade (521 km a Oeste), um incêndio florestal teve início e está ainda em fase de controle. Para isso, estão com apoio de 3 aeronaves. O outro registro é em Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte), mas ainda não havia informações da extensão até o fechamento da reportagem, por volta das 21 horas.

Aumento
De 1º de janeiro até 8 de agosto, Mato Grosso contabiliza 10.312 focos de incêndio, uma taxa 56,2% maior do que o mesmo período de 2018. É o estado com maior número de focos.

Esses mais de 10 mil focos representam 20,85% das queimadas em todo o país em 2019. Em segundo lugar vem Tocantins, com 4.928 focos, o que representa 9,98% do país.

No território mato-grossense chamam a atenção dois municípios. Colniza (1065 km a Noroeste) é a cidade com mais focos de calor a partir de 15 de julho, totalizando 295. Ela está no ranking dos 10 municípios que mais queimaram desde 1º de janeiro, ocupando a 6ª posição.

A outra cidade com maior registro é Tangará da Serra (239 km a médio-norte), com 105 focos durante o período proibitivo. Entretanto, desde o início do ano, já foram identificados 378 focos, o que a coloca como a 4ª cidade que mais queimou em 2019.

Fonte: noticias.r7.com 

LEIAM TAMBÉM: canalrural.uol.com   Queimadas crescem e produtores perdem palhada para Soja

Add Comentários