Vereador apresenta imagens para provar que autora de denúncia não esteve em sua casa

O vereador Juca do Guaraná Filho (Avante) protocolizou na manhã desta segunda-feira (02), na Câmara Municipal de Cuiabá, uma declaração, que será encaminhada à Comissão de Ética do parlamento, em que a servidora Claudia de Almeida Costa, que exerce um cargo de chefia no Hospital São Benedito, afirma que não esteve no condomínio onde o vereador reside.

O Parlamentar também protocolou o registro de imagens entre os dias 21 e 22 de novembro, onde não consta à entrada da também servidora Elizabete Maria de Almeida, que denunciou uma suposta compra de votos envolvendo o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) para cassar o vereador Abílio Junior (PSC).

Na declaração protocolada por Juca do Guaraná, a servidora também ressalta que não ofereceu, nem custeou modalidade de transporte à Elizabete Maria até o condomínio, conforme ela denunciou. A servidora ainda afirma que se recolheu em sua residência, no dia 21, por volta das 20h15 e só deixou sua casa no dia 22 de novembro, por volta das 19h09.

Elizabete, servidora do Hospital são Benedito, denunciou ter recebido ordens de Cláudia, para estar no condomínio do vereador Juca, onde segundo a denunciante estava sendo armadas ações contra o vereador Abílio Junior, que passa por um processo de cassação de mandato na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar.

“Estou muito tranquilo, moro em um condomínio, com grande aparato de segurança. Minha casa sempre está de portas abertas para familiares e amigos, tudo com extrema segurança. Uma coisa eu tenho absoluta certeza nunca vi esta pessoa, que levantou tal acusação. Esta declaração só reafirma o que está nas imagens’, disse o parlamentar.

Juca acredita que a acusação é uma ação desesperada do Vereador Abílio em produzir uma cortina de fumaça para cessar os efeitos da comissão processante.

Olhar Direto

Add Comentários