Vice-prefeito de Nova Mutum defende que Estado reduza Fethab no milho e cita investimentos privados

O vice-prefeito de Nova Mutum, Leandro Félix, participou hoje da audiência pública, na Assembleia Legislativa, que debateu as mudança na lei do Fethab (Fundo de Transporte e Habitação) que passou a ser cobrado também nas vendas de milho em Mato Grosso. Leandro disse entender o momento difícil que o estado atravessa por conta da crise econômica, mas defendeu que o produtor que gera riquezas e paga altos custos para produzir não pode arcar com o ônus dessa crise. “Estou aqui na capital para defender nossos produtores, que já são penalizados com o alto custo para produzir e gerar riquezas ao estado. O milho safrinha não é tão lucrativo para o produtor que já paga o Fethab da soja, e essa taxação pode inviabilizar a produção no estado”, critica.

O vice-prefeito falou ainda dos investimentos de quase R$ 2 bilhões que Nova Mutum está recebendo com a chegada de duas usinas de etanol milho. “Nossa cidade está recebendo esses investimentos através da FS Bioenergia e a Ethanol Bioenergia, que produzirão etanol a partir do milho, isso tende a fortalecer a cultura do milho. Mas, para isso, o Estado deve ouvir o setor e buscar meios de diminuir esse impacto que o Fethab do milho causou aos produtores de nosso Estado”, afirma.

Com a taxação do Fethab o produtor passou a pagar R$ 8,33 por tonelada vendida para outros Estados e países e equivale a R$ 0,50 por saca do cereal que é paga para o Estado, desde o início do ano.

Só Notícias 

Add Comentários