MT: Eduardo Botelho recebe CRO-MT para debater LOA 2022

 

O presidente do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT), Sandro Stefanini, esteve com o deputado estadual e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho, nesta terça-feira (15.06). Também participou da reunião o cirurgião-dentista Rodrigo Vandoni.

Na ocasião, a pauta foi a inclusão da Odontologia Hospitalar na Lei de Orçamento Anual (LOA) de 2022. O pedido do presidente do CRO-MT tem como base a lei nº 10.659/2017, que trata da obrigatoriedade da presença de profissionais da Odontologia nos hospitais públicos e privados para prestação de assistência.

Ainda consta na lei que “nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s), os cuidados serão prestados por odontólogo e, nas demais unidades hospitalares, o atendimento poderá ser feito por outros profissionais devidamente habilitados, sob supervisão de um odontólogo”.

“Viemos conversar com o deputado Eduardo Botelho, que nos recebeu muito bem e ouviu da necessidade de se prever orçamento para a Odontologia Hospitalar. O nosso objetivo com esta previsão é que a legislação possa ser cumprida. Com isso, todos ganham: sociedade e profissionais”, destacou Sandro Stefanini.

O encontro com Botelho é mais umas das etapas do CRO-MT na busca desta dotação orçamentária para a Odontologia. No mês passado, a autarquia se reuniu com representantes da Casa Civil de Mato Grosso e também encaminhou no mesmo mês um documento solicitando a previsão do orçamento.

No documento, o CRO-MT justificou a importância de os profissionais da Odontologia no ambiente hospitalar haja visto a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). “O cenário epidêmico que o país se encontra mostra ainda mais a importância destes profissionais. Os procedimentos com protocolos englobando a Odontologia nos hospitais particulares já vinham sendo adotados para prevenção de pneumonias causadas por outros microorganismos”, diz trecho.

“A adoção desse protocolo tem apresentado ótimos resultados com cerca de 40% dos pacientes entubados apresentando alguma melhora. Assim, tendo em vista a falta desses profissionais nos hospitais públicos se faz necessário a análise de readequação da dotação orçamentária para abertura de vagas para profissionais odontólogos nos próximos concursos do estado de Mato Grosso”, completa outro trecho.

Fonte:      cromt.org