Vara Criminal de Várzea Grande está com todos os processos tramitando de forma eletrônica

A Quarta Vara Criminal da Comarca de Várzea Grande concluiu o processo de digitalização de todo o acervo em trâmite. Todos os processos físicos agora estão no Processo Judicial Eletrônico (PJe). Ao todo são 3.146 entre os que já nasceram no PJe e os que migraram. O procedimento de virtualização é uma indicação do Conselho Nacional de Justiça e da gestão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
O Fórum de Várzea Grande está concentrando esforços para a migração. O juiz titular da vara, Abel Balbino Guimaraes está empenhado em cumprir as orientações do Tribunal de Justiça e hoje a vara está pronta para mudança para o novo fórum, sem a necessidade de leva processos físicos para o novo espaço. Os trabalhos foram iniciados ainda no período crítico da pandemia. Os esforços foram concentrados até para facilitar o teletrabalho dos servidores e magistrado.
“Todas as audiências passaram a ser virtuais. Quando alguma das partes pode ter problemas com a internet, ela é orientada na intimação, para comparecer ao fórum. Seguimos as determinações sanitárias e a parte participa daqui mesmo, mas de foram virtual. Temos poucos casos assim. As pessoas estão participando das audiências de computadores e até de celulares normalmente”, disse o gestor da vara, Heuder Lima de Assis.
Ainda segundo o gestor melhorou o ambiente de trabalho, as informações de balcão reduziram e hoje os advogados podem ver a íntegra dos autos, evitando o manuseio do papel e tornando o ambiente mais produtivo para todos.
Ele explicou que o primeiro passo é escanear os processos, depois mandar o número do processo para um sistema responsável pela migração entre o Apolo e o PJe. Em seguida os arquivos que foram copiados são anexados dentro do PJe e já estão aptos a serem movimentados e consultados. Na sequência os autos físicos são levados para o Arquivo Geral e ficam disponíveis para questionamentos das partes.
Ranniery Queiroz
TJMT